Publicidade
Rádio Kairos - A rádio da família
    Surto de sarampo alerta para importância da imunização de outras doenças

    Surto de sarampo alerta para importância da imunização de outras doenças

    Pneumonia e meningite também podem ser prevenidas por meio da imunização. 
    Manter a carteira de vacinação em dia pode evitar que outras doenças graves acometam, principalmente, as crianças.
    Infecções como pneumonia e meningite, provocadas pelo pneumococo, são apontadas como mais fatais que o sarampo em crianças menores de cinco anos de idade, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. 
    Sempre que são registrados surtos de alguma doença infectocontagiosa, a importância da vacinação volta a chamar atenção de todos. Esse é o caso do sarampo, uma doença considerada erradicada no Brasil e que voltou a ameaçar a saúde pública. São mais de 9.304 casos registrados no País esse ano, segundo o Ministério da Saúde. 
    Manter a carteira de vacinação em dia pode evitar que outras doenças graves acometam, principalmente, as crianças. É o caso da pneumonia e da meningite, provocadas pela bactéria Streptococcus pneumoniae, o pneumococo. Essas doenças podem ser prevenidas por meio da imunização. Além disso, se não forem diagnosticadas precocemente e tratadas corretamente, podem levar à morte. 
    A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que as mortes por doenças pneumocócicas causem por ano mais de 800 mil mortes de menores de 5 anos, superando em até 8 vezes os 110 mil óbitos causados anualmente por sarampo na mesma faixa etária, em âmbito mundial, de acordo com levantamento realizado em 2017. O Brasil está entre os 15 países com maior incidência de infecções pelo pneumococo. 
    Formas de transmissão 
    A pneumonia é uma doença respiratória provocada por bactérias, vírus ou fungos. Três a cada 10 casos diagnosticados estão associados à bactéria pneumococo. 
    Qualquer pessoa pode ter a doença pneumocócica, mas alguns indivíduos estão em maior risco do que outros, como crianças com menos de 2 anos de idade e adultos a partir de 65 anos; pessoas com doenças crônicas, como diabetes, câncer e insuficiência renal; pacientes com o sistema imunológico comprometido por outras doenças; e fumantes. 
    A transmissão do streptococcus pneumoniae acontece por meio do contato entre pessoas que contraíram a doença ou que estão colonizadas pela bactéria, mas não apresentam sintomas. É comum que os indivíduos, principalmente as crianças, sejam portadoras e transmitam a bactéria sem adoecer. A gravidade, a alta incidência e os impactos em todas os grupos etários, fazem com que a vacinação seja uma estratégia importante na prevenção da doença pneumocócica. 
    Prevenção 
    Entre as vacinas que podem proteger os pacientes contra as pneumonias pneumocócicas está a Prevenar 13, da Pfizer, a única que oferece proteção direta contra os outros 13 sorotipos de pneumococo mais prevalentes em todo o mundo: 6A, 6B, 7F, 9V, 14, 18C, 19A, 19F e 23F. Trata-se, ainda, da única vacina pneumocócica conjugada licenciada para todas as idades no Brasil, a partir de 6 semanas de vida, incluindo adolescentes e adultos. 
    Aprovada no Brasil desde 2010, a vacina Prevenar 13 está disponível nas clínicas particulares com indicação para todos os grupos etários e, desde outubro de 2019, passou a ser disponibilizada também na rede pública de saúde através dos CRIEs (Centro de Referência Imunológicos Especiais) para pacientes considerados de alto risco para aquisição da doença pneumocócica, acima de 5 anos de idade, o que engloba pacientes com HIV e oncológicos, além de indivíduos transplantados.

    Fonte:  https://novo.folhavitoria.com.br/economia/noticia/11/2019/emenda-constitucional-da-reforma-da-previdencia-e-publicada
    Departamento de Jornalismo (com informações: Folha Vitória)
    Kairós FM