Publicidade
Rádio Kairos - A rádio da família
    É preciso pedir como os discípulos: “Senhor, ensina-nos a rezar”, diz Papa.

    É preciso pedir como os discípulos: “Senhor, ensina-nos a rezar”, diz Papa.

    Papa Francisco iniciou um novo ciclo de catequeses dedicado ao “Pai-Nosso”.

    “Senhor, ensina-nos a rezar”. Com essa frase o Papa Francisco iniciou um novo ciclo de catequeses dedicado ao “Pai-Nosso”. Concluída a série sobre os Dez Mandamentos, o Pontífice se concentra agora na figura de Jesus como homem de oração. Diante de milhares de fiéis na Sala Paulo VI, o Papa partiu sua explicação do Evangelho de Marcos.

    Segundo Francisco, desde a primeira noite em Cafarnaum, Jesus demonstra ser um Messias original. “Na última parte da noite, quando o alvorecer se anuncia, os discípulos ainda o buscam, mas não conseguem encontrá-lo. Até que Pedro finalmente o encontra num lugar isolado, completamente absorto em oração. E lhe diz: ‘Todos te buscam!’ (Mc 1,37). Jesus diz aos seus que deve ir além; que não são as pessoas a buscá-Lo, mas é antes de tudo Ele a buscar os outros. Por isso, não deve fincar raízes, mas permanecer continuamente peregrino pelas estradas da Galileia. E também peregrino em relação ao Pai, isto é, rezando. Em caminho de oração”.

    O Papa observou que a narração do livro de São Marcos mostra que tudo acontece numa noite de oração. “Em alguma página das Escrituras, parece ser a oração de Jesus, a sua intimidade com o Pai, a governar tudo”, explicou. O Pontífice ainda frisou, o que considera um ponto essencial: “Jesus rezava. Jesus rezava com intensidade nos momentos públicos, mas buscava também locais apartados que lhe permitissem entrar no segredo de sua alma. Rezava com as orações que a mãe lhe havia ensinado”, sublinhou.

    “Jesus rezava como reza qualquer homem do mundo. E mesmo assim, no seu modo de rezar, estava contido um mistério, algo que certamente não passou desapercebido aos olhos dos seus discípulos, a ponto de dizerem: ‘Senhor, ensina-nos a rezar’. Eles viam Jesus rezar e tinham vontade de aprender”, contou o Santo Padre, que acrescentou: “E Jesus não recusa, não tem ciúme da sua intimidade com o Pai, mas veio justamente para nos introduzir nesta relação. E assim se torna mestre de oração dos seus discípulos, como certamente quer ser para todos nós”.

    Mesmo rezando há muitos anos, Francisco afirmou que os cristãos devem sempre continuar a aprender. “A oração do homem, este anseio que nasce de modo assim tão natural da sua alma, é talvez um dos mistérios mais intensos do universo. E não sabemos nem mesmo se as orações que endereçamos a Deus são realmente as que Ele quer ouvir de nós”, refletiu. O Pontífice afirmou que há orações inoportunas, e citou a parábola do fariseu e do publicano.

    “O fariseu era orgulhoso, fazia de conta que rezava, mas seu coração era frio. O primeiro passo para rezar é ser humilde. Ir ao Pai, a Nossa Senhora: ‘Olhe, sou pecador, fraco, malvado’, cada um sabe o que dizer. Mas sempre se começa com a humildade. O Senhor escuta, a oração humilde”, comentou. Para o Santo Padre, com o início deste ciclo de catequeses sobre a oração de Jesus, a coisa mais bela e mais justa que todos devem fazer é repetir a invocação dos discípulos.

    De acordo com o Pontífice, será belo no tempo de Advento, que todos os fiéis repitam: “Senhor, ensina-nos a rezar”. Para o Papa, todos podem ir além e rezar melhor: “Ele certamente não deixará cair no vazio a nossa invocação”.

    Ao final da catequese, ao saudar os peregrinos poloneses, o Santo Padre saudou os redatores da seção polonesa da Rádio Vaticano, que celebram 80 anos de fundação. “Eu lhes agradeço pelo serviço ao Papa e à Igreja”. Francisco recordou ainda a celebração no próximo domingo, na Polônia, da 19ª Jornada de oração e de Ajuda à Igreja no Leste: “Com reconhecimento penso a todos aqueles que com a oração e as obras concretas, apoiam as comunidades eclesiais dos países vizinhos”.

    O Papa lembrou por fim a celebração no próximo sábado, 8 de dezembro, da solenidade da Imaculada Conceição. “Entreguemo-nos a Nossa Senhora! Ela, como modelo de fé e de obediência ao Senhor, nos ajude a preparar os nossos corações a acolher o Menino Jesus no seu Natal”, disse Francisco. Como é tradição, no dia 8 o Papa vai até a Praça de Espanha para uma homenagem com flores a Nossa Senhora.

    Fonte: https://noticias.cancaonova.com/especiais/pontificado/francisco/e-preciso-pedir-como-os-discipulos-senhor-ensina-nos-rezar-diz-papa/

    Da Redação Multimídia
    Departamento de Jornalismo (com informações: Canção Nova)
    Kairós FM