Publicidade
Rádio Kairos - A rádio da família
    Com expectativa de queda, Copom define taxa básica de juros nesta quarta-feira.

    Com expectativa de queda, Copom define taxa básica de juros nesta quarta-feira.

    O mercado está dividido. Uma parte aposta que a Selic sofra um corte de 0,25 ponto percentual e outra, de 0,5 ponto percentual.

    O Comitê de Política Monetária (Copom) define nesta quarta-feira (31) a nova taxa básica de juros (Selic) do país. O mercado está dividido. Uma parte aposta que a Selic sofra um corte de 0,25 ponto percentual e outra, de 0,5 ponto percentual.

    Há, ainda, quem duvide da redução por não acreditar que houve uma mudança significativa no cenário econômico, para refletir em um novo posicionamento do Banco Central. Atualmente, a taxa básica está em 6,5% ao ano.

    Pedro Paulo Silveira, economista chefe da Nova Futuro Investidor, aposta na queda da Selic, mas não sabe precisar qual será o tamanho do corte.

    “O mercado está bem dividido. É difícil saber qual será a redução, mas é muito provável que ocorra porque todos os indicativos que o Banco Central utiliza como argumento para a queda são visíveis: economia com crescimento baixo, desemprego elevado, inadimplência e baixo consumo”, diz Silveira.

    O economista acredita que a redução vai colaborar para estimular um pouco mais a economia brasileira. “Será um impulso para gerar emprego e renda. Em um laço temporal, resultará em um efeito importante. ”

    Juliana Inhasz, coordenadora do curso de economia do Insper, espera uma redução de 0.25 ponto percentual.

    “Temos elementos para crer que a queda está muito próxima de se efetivar. Acredito em 0,25 ponto percentual para o BC sentir a reação do mercado com o nosso cenário atual. ”

    Para Juliana, o Copom tem se mostrado cuidadoso e vem tentando entender a forma que a economia reage a todos os movimentos, por isso vem segurando a redução.

    “Com a reforma da previdência ainda indefinida, por exemplo, o Copom está cauteloso, mas enxerga elementos macroeconômicos para testar mercado. Não é consenso, mas temos uma concepção maior de redução muito próxima”, comenta.

    Já Miguel José Ribeiro de Oliveira, diretor executivo da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), acredita que o BC tem elementos para baixar a taxa há muito tempo, mas vem segurando por estar receoso em relação à reação da economia.

    “Não há nenhum fato novo em relação ao que tínhamos nos meses anteriores para fazer o Banco Central mudar de posição, por isso eu acho difícil ele baixar a taxa nesta reunião”, destaca Oliveira.

    Entre as preocupações do BC, o especialista destaca a indefinição da reforma da previdência. “Ela passou em primeiro turno, mas ainda precisa passar no segundo turno, ser aprovada no Senado... o Banco Central deve estar esperando esta definição para tomar uma iniciativa. ”

    Há, também, indefinição no cenário externo: guerra comercial dos Estados Unidos com a China e saída do Reino Unido da União Europeia, por exemplo.

    “Nada mudou nesse mês em relação aos meses anteriores, quando o Copom decidiu manter a taxa. Eles estão esperando terem mais definições, mais resoluções para não baixar e ter de subir novamente”, comenta Oliveira.

    Melhores investimentos

    Com a taxa de juros baixa, os melhores investimentos, segundo Silveira, da Nova Futuro Investidor, títulos do Tesouro Direto, renda fixa privada (CDBs) e ações.

    Oliveira fez algumas simulações de como será o cenário econômico com a redução da Selic em 0,25 ponto percentual e 0,5 ponto percentual.

    Fonte: https://www.folhavitoria.com.br/economia/noticia/07/2019/com-expectativa-de-queda-copom-define-taxa-basica-de-juros-nesta-quarta-feira

    Da Redação Multimídia
    Departamento de Jornalismo (com informações: Folha Vitória)
    Kairós FM