Notícias

Previdência sustenta 546,2 mil no Espírito Santo.

A população brasileira está vivendo mais e, como reflexo desse cenário, a proporção de aposentados e pensionistas disparou. Estudo feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), com base nos dados da Pesquisa por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE, mostra que a participação de inativos beneficiários de regimes de previdência na população do Espírito Santo cresceu 162% em 23 anos.

 

Em 1992, eram 208.342 capixabas que dependiam de benefícios seja do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) ou de regimes próprios de previdência. Na época, o número correspondia a 7,9% da população do Estado. Já em 2015, essa proporção era de 13,9%, com 546.258 aposentados e pensionistas sustentados pela Previdência.

 

Com o crescimento da proporção de beneficiários, o Espírito Santo é hoje o 8º Estado com maior percentual de aposentados e pensionistas de acordo com a população. Entretanto, a taxa ainda é menor que a média nacional, que é de 14,2%. Rio Grande do Sul lidera o ranking, com 20,4% da população dependente de regimes de previdência.

 

O estudo mostra ainda que a idade média dos aposentados no Estado também aumentou. De 66 anos, em 1992, para 68 anos, em 2015. O autor e coordenador de Previdência do Ipea, Rogério Nagamine, avalia que os dados reforçam a urgência em se aprovar a reforma da Previdência.

 

Apontado pelo governo como um dos principais motivos para a reforma em discussão, o envelhecimento da população tende a se intensificar nos próximos anos, chegando em 2060 com um terço dos brasileiros idosos. Segundo Nagamine, sem uma reforma, o número de beneficiários seguiria essa mesma proporção.

 

“Esse crescimento é natural tendo em vista a maior participação de idosos na população, como resultado do maior envelhecimento. Esse número deve crescer de forma ainda mais expressiva nas próximas décadas e, sem reforma, o sistema previdenciário seja impagável com uma conta pesada e que não irá fechar”, afirmou.

 

Além do envelhecimento da população, a presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), Jane Berwanger, também elencou outros três fatores: a ampliação dos benefícios assistenciais; a legislação de 1991, que proporcionou mais inclusão ao INSS, como de trabalhadores rurais; e um desespero em se aposentar antes da reforma.

“Todos esses fatores contribuem para essa aumento de beneficiários. Os números mostram que a reforma é necessária, o que nós concordamos. A questão etária deve estar no centro dessa discussão, mas acreditamos que se deveria ter mais debate com a população e um governo parando de abrir mão de receitas”, comentou.

 

O estudo do Ipea também alerta que a despesa do INSS de acordo com o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil era de 3% no começo da década de 1990 e chegou a 8% no ano passado.

 

Quanto aos regimes de aposentadoria dos servidores públicos, a pesquisa concluiu que há uma “evidente regressividade”, ou seja, que estes modelos concentram renda no país. Outra constatação é de que o atual sistema permite que as pessoas se aposentem jovens e assim possam continuar trabalhando, acumulando rendimentos e também concentrando riqueza.

 

Fonte: https://www.gazetaonline.com.br/noticias/economia/2017/12/previdencia-sustenta-546-2-mil-no-espirito-santo-1014110774.html

 

Da Redação Multimídia

Departamento de Jornalismo (com informações: Gazeta Online)
Kairós FM

 voltar  |  topo  |  imprimir

 
Ao vivo Bom dia Kairós 1°Edição com Gilson Meirelles das 07:30 às 09:00
  • 1 . Luan Santana - 2050
  • 2 . Jorge e Matheus - Contrato
  • 3 . Vitor Kley - O Sol
  • 4 . Dennis DJ (part. Bruno Martini e Vitin) - Sou Teu Fã
  • 5 . Nicky Jam (part. J Balvin) - X (EQUIS)
 

Você acredita que a seleção brasileira vai ganhar a Copa do Mundo 2018?

Resultado Parcial